Skip to content

Comunicação Não-Violenta & Aikido

02/06/2013

Por Sandra Caselato e Yuri Haasz flow

Temos pesquisado e trabalhado as intersecções entre a Comunicação Não-Violenta (CNV) e o Aikido, como caminhos complementares para redescoberta de um lugar interno de não-violência, a partir do qual podemos interagir com tudo a nossa volta. Nossa experiência tem nos mostrado que os princípios fundamentais destas duas abordagens têm muito a contribuir com o aprendizado, o entendimento e a prática da não-violência em relação a nós mesmos, aos outros e ao ambiente. Os exercícios psicofísicos que temos desenvolvido visam criar condições para que surjam insights sobre novas formas de ver e lidar com situações de conflito. E temos compartilhado este trabalho em oficinas e workshops no Brasil e no exterior.

Comunicação Não-Violenta (CNV)

A Comunicação Não-Violenta (CNV), criada por Marshal Rosenberg, busca desenvolver uma expressão mais autêntica e honesta e uma escuta mais empática por meio da alteração do foco e da intenção por trás da comunicação. Essa alteração visa contribuir para a conexão entre as pessoas através de um entendimento profundo, da empatia que emerge a partir de um denominador comum: nossa humanidade compartilhada (valores, princípios ou necessidades comuns a todos os seres humanos). Além da CNV, várias outras teorias e abordagens entendem o ser humano a partir de suas Necessidades Humanas Universais, como as de Manfred Max-Neef (Economia), Mary Clarck (Biologia), Maslow (Psicologia), Johan Galtung (Estudos de Paz), entre outros.

Aikido

O Aikido, criado por Morihei Ueshiba, busca transcender a marcialidade como maneira de lidar com conflitos. À semelhança da CNV e da filosofia de não-violência de Gandhi (ahimsa), o Aikido propõe que diferenciemos as “pessoas” de seus “atos”, possibilitando manter o respeito e o amor à pessoa, mesmo discordando de suas ações e estratégias. O Aikido propõe o uso “protetivo” da força como forma de intervenção, diferenciando-o do uso “punitivo” pela intenção. O Aikido também incorpora a evolução das idéias sobre a aplicação da não-violência, desde Satyagraha de Gandhi, a conversão do oponente pelo auto-sacrifício, até a resistência civil de Martin Luther King, que acrescenta a não-violência consigo mesmo. Assim, no Aikido está presente a intenção de proteger a integridade de todos, tanto do agressor quanto do agredido.

…………………..

Sandra Caselato e Yuri Haasz pesquisam e trabalham com não-violência aplicada a transformação de conflitos, combinada a abordagens inovadoras em práticas colaborativas e participativas, incorporando a elas sua experiência como instrutores de aikido, yoga e meditação. Oferecem cursos, vivências e consultoria para escolas, organizações e empresas no Brasil e no exterior. Yuri é mestre em Relações Internacionais com foco em Estudos de Paz e Transformação de Conflitos e Sandra é psicóloga. Ambos são faixas pretas 3o grau de Aikido, com mais de 20 anos de prática, e instrutores certificados de yoga. Têm trabalhado com CNV no Brasil, EUA, Israel, Palestina, Tailândia, Japão.

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: